Aplicação da educação STEM na sala de aula turma 04_2324_PD_A

Apresentação

O conceito de educação STEM (Science, Technology, Engineering, Mathematics) surgiu nos EUA, como uma iniciativa a nível nacional de forma a preparar os jovens para as necessidades do mercado de trabalho nas áreas mais inovadoras. É cada vez mais consensual que estas quatro áreas ajudam os mais jovens a encontrar um trabalho e podem levar a uma grande variedade de carreiras de sucesso, mas tem-se verificado um decréscimo no interesse dos estudantes, com maior incidência no género feminino, em enveredar profissionalmente por estas áreas. A incorporação no curriculum da metodologia STEM pretende oferecer aos alunos um ensino integrado. A educação STEM é um caminho, não uma meta, que preconiza aprendizagens mais holísticas / globais em vez das tradicionalmente praticadas.

Destinatários

Docentes dos grupos de recrutamento 230, 500, 510 e 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes dos grupos de recrutamento 230, 500, 510 e 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes dos grupos de recrutamento 230, 500, 510 e 520.

Objetivos

- Promover a articulação das diferentes disciplinas científicas e a aferição de procedimentos e estratégias educativas. -Sensibilizar os professores para a importância de novas abordagens na motivação dos alunos para a aprendizagem das disciplinas das áreas curriculares de Ciências e Tecnologias. - Contribuir para o aperfeiçoamento das competências científicas, técnicas e didáticas necessárias à implementação das diversas atividades nas salas de aula. - Desenvolver uma metodologia STEM na abordagem dos temas científicos no sentido de possibilitar a operacionalização de conhecimentos e técnicas que permitam a aprendizagem significativa dos conceitos.

Conteúdos

- Promover a articulação das diferentes disciplinas científicas e a aferição de procedimentos e estratégias educativas. -Sensibilizar os professores para a importância de novas abordagens na motivação dos alunos para a aprendizagem das disciplinas das áreas curriculares de Ciências e Tecnologias. - Contribuir para o aperfeiçoamento das competências científicas, técnicas e didáticas necessárias à implementação das diversas atividades nas salas de aula. - Desenvolver uma metodologia STEM na abordagem dos temas científicos no sentido de possibilitar a operacionalização de conhecimentos e técnicas que permitam a aprendizagem significativa dos conceitos. - Apresentação dos princípios básicos da educação STEM a partir de vídeos e do "estado da arte" decorrente da análise da literatura sobre o tema. - Apresentação de um exemplo concreto da aplicação da metodologia STEM e subsequente discussão sobre a sua implementação didática. - Análise de potenciais cenários de aplicação da metodologia STEM nas diversas disciplinas representadas na oficina de formação. - Discussão aberta e participada sobre a forma de otimizar a aplicação desta metodologia na perspetiva do desenvolvimento de experiências de aprendizagem significativa nos alunos. - Conceção de atividades formativas que incorporem o conceito STEM, seu desenvolvimento e aplicação com os alunos e reflexão metodológica sobre essa implementação-registo, análise e apresentação dos resultados obtidos. - Avaliação e reformulação das atividades e materiais produzidos. - Análise das vantagens e desvantagens da aplicação da metodologia STEM como alternativa ou complemento à lecionação tradicional.

Metodologias

Presencial: 1.ª sessão (3h) – Apresentação e discussão sobre o trabalho a desenvolver na Oficina de Formação; apresentação dos princípios básicos de uma metodologia STEM; apresentação de atividades STEM para análise e discussão 2.ª sessão (3h) – Desenvolvimento de uma atividade STEM em grupo; apresentação e discussão das atividades STEM para posterior implementação. 3.ª sessão (3h) – Apresentação e discussão sobre avaliação formativa e sumativa em contexto STEM; Desenvolvimento de uma atividade STEM em grupo; apresentação e discussão das atividades STEM para posterior implementação. 4.ª sessão (3h) – Desenvolvimento de uma atividade STEM em grupo; apresentação e discussão das atividades STEM para posterior implementação 5.ª sessão (3h) – Apresentação e discussão de resultados obtidos através da implementação de uma atividade. Trabalho autónomo: 1.º momento (3h) – Leitura e reflexão de artigos científicos relacionados com umaeducação STEM 2.º momento (3h) – Implementação em sala de aula da atividade STEM desenvolvida. Recolha e análise dos dados obtidos. 3.º momento (3h) – Implementação em sala de aula da atividade STEM desenvolvida. Recolha e análise dos dados obtidos. 4.º momento (3h) – Análise da atividade STEM desenvolvida e aperfeiçoamento da mesma 5.º momento (3h) – Avaliação global do trabalho desenvolvido e preparação de apresentação multimédia para partilha de resultados/avaliação

Avaliação

Para além do cumprimento das determinações legais, a avaliação dos formandos basear-se-á: a) na participação ativa nas tarefas desenvolvidas nas 15 horas presenciais, com apresentação de um trabalho decorrente da aplicação em sala de aula e subsequente reflexão crítica do tema abordado na formação. b) aplicação em sala de aula da atividade planificada e realização autónoma e reflexiva das tarefas solicitadas. NOTA: No final da ação será solicitada a apresentação de um relatório final, individual, sobre o trabalho desenvolvido pelos formandos. Forma de avaliação da ação: - Apresentação dos trabalhos realizados. - Reunião final de análise crítica ao decorrer da ação. - Relatórios elaborados pelos formadores. - Será atribuída uma classificação quantitativa de 1 a 10 valores.

Bibliografia

ARCHER L, DEWITT J, O SBORNE J, DILLON J, WILLIS B, WONG B (2012) Science aspirations, capital, and family habitus: how families shape children's engagement and identification with science. Am Educ Res J 49: 881-908- HANDELSMAN, J. (2004). Metagenomics: Application of genomics to uncultured microorganisms. Microbiol. Molec. Biol. Rev. 68(4): 669-685.. SANTOS, M. E. V. M. (1999). Desafios Pedagógicos para o Século XXI. Lisboa: Livros Horizonte SERWAY, R., BEICHNER, R. (2000). Physics for Scientists and Engineers with Modern Physics (5th Ed.). Fort Worth: Saunders College Publishing. VALADARES, J., GRAÇA, M. (1998). Avaliando... para Melhorar a Aprendizagem. Colecção Plátano Universitária. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, Lda. WELLINGTON, J. (ed.) (1999). Practic al Work in School Science - which way now?. London, New York: Routledge Toma, R. B. y Retana-Alvarado, D. A. (2021). Mejora de las concepciones de maestros en for¬mación de la educación STEM. Revista Iberoamericana de Educación, 87(1), 15-33. https://doi. org/10.35362/rie8714538

Formador

Fábio Fonseca Ribeiro

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-01-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial
2 28-02-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial
3 24-04-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial
4 12-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial
5 28-06-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
6 29-06-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
Início: 24-01-2024
Fim: 29-06-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-121915/23
Modalidade: Oficina
Pessoal: Docente
Regime: Presencial
Duração: 30 h
Local: Escola Secundária Felismina Alcântara - Mangualde